top of page

Equipe do Instituto Periférico produz conteúdo para documentário sobre o queijo Minas artesanal



Na semana passada, uma equipe do Instituto Periférico esteve na microrregião da Canastra para produzir conteúdo audiovisual no âmbito do projeto ”Queijo artesanal: sabores e saberes mineiros”. As imagens serão utilizadas em um videodocumentário e outros produtos para divulgação e promoção dos modos de fazer o queijo Minas artesanal.

As gravações foram realizadas nos municípios de São Roque de Minas e Medeiros e contaram com participação de produtores e outros detentores de saberes relacionados ao queijo na região. Os registros ocorreram após a presença da equipe de pesquisa do projeto, que realizou entrevistas, observações e levantamento de dados junto a produtores de queijo Minas artesanal, associações e comerciantes. As gravações da semana passada contaram, inclusive, com apoio da Associação dos Produtores de Queijo Canastra (Aprocan).

De acordo com a coordenadora do projeto, Luciana Praxedes, o documentário a ser produzido com as imagens vai auxiliar a preservação da memória e a valorização de tantos personagens que têm construído a história do queijo na região. “As imagens produzidas são uma parte fundamental do projeto, que propõe a valorização dos modos de fazer que envolvem a produção do queijo artesanal de leite cru em Minas Gerais. O videodocumentário vai ampliar o conhecimento, a salvaguarda patrimonial e a promoção cultural e turística deste símbolo da cozinha mineira”.


A ampliação do registro dos modos de fazer o queijo Minas artesanal como Patrimônio Cultural Imaterial de Minas Gerais é uma realização do Instituto Periférico com o patrocínio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa MG), por meio da Lei de Incentivo à Cultura, do Governo Federal, em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG). O projeto também conta com o apoio técnico da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

5 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page